Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Fevereiro, 2010

Planejamento de aula

Como planejar uma aula, seguindo os 4 pilares da educação...
Vamos por etapas:


É comum professores cometerem um grave erro ao montarem um Plano de aula: fazê-lo para si próprio. O Plano de aula deve ser feito para o aluno!
Como assim?! Você deve estar se perguntando...
É simples: o centro de um Plano de aula é, sem dúvida, o aluno! Como vai aprender e como vai receber o que você está propondo.
É preciso fazer com que o aluno estude para aprender e não para “passar de ano” e você só conseguirá isto se fizer um Plano de aula, onde ele (o aluno) é o “tema central”.
Mas o que eu, como professor(a), penso não conta?
É claro que sim, pois nós, educadores, somos os responsáveis por propiciar situações em que o aluno se aproprie do conhecimento. Lembre-se: o aluno não é um ser que não sabe nada e vai à escola para aprender tudo com o professor, que é o detentor do saber.
Agora que já “sabe” que o tema central do Plano de aula deve ser o aluno, você deve preocupar-se em criar situações interess…

Bullying

Seu filho sofre isso ?

BULLYING: O QUE É E COMO PROCEDER

Mônica Nardy Marzagão
--------------------------------------------------------------------------------
Um tema ambíguo de nossa sociedade é o chavão de que criança é sinônimo de bondade. Vejamos o que corrobora o enunciado supracitado.
Crianças maiores agridem as menores, ateam fogo no rabo de bichanos, são egoístas (não confundir com o egocentrismo próprio da primeira infância), querem tudo para si mesmas, maltratam os combalidos e participam de Bullying. Este não é o perfil de um bom samaritano! Quero ressalvar que sou uma veemente defensora dos direitos da infância, mas não posso cerrar os olhos para algo de talhe tão tenebroso.
Você sabe o que significa bullying? Bullying é uma palavra da língua inglesa que significa gozar, humilhar, intimidar, ofender, agredir, discriminar e colocar epítetos maliciosos em um determinado indivíduo. É um conjunto de atitudes hostis propositadas, recorrentes e sem causa manifesta, empreendido p…

Aconselhamento Psicopedagógico

Aconselhamento Psicopedagógico
ACONSELHAMENTO PSICOPEDAGÓGICO: RELAÇÃO ESCOLA E FAMÍLIA

Lidia Maria Kroth

Sendo a criança o centro do processo ensino e aprendizagem, é da relação equilibrada entre escola e família, que ela terá a oportunidade de tornar-se cidadã integra, consciente e sua realidade e atuante no exercício de sua cidadania.

JUSTIFICATIVA
Tendo em vista as mais diversas realidades educacionais e percebendo as dificuldades geradas no relacionamento entre a escola e a família, que afeta diretamente no desenvolvimento integral da criança, sentiu-se a necessidade de buscar alternativas como forma de estreitar estas relações em contribuição ao crescimento do educando.
Desde os tempos mais remotos houve questionamentos e dúvidas em relação à definição de papéis da escola da família.
Até que ponto a família deve interferir no trabalho da escola ou a escola no relacionamento familiar?
Deverá sim haver respeito mútuo onde ambos trabalhem juntos num ambiente de colaboração e partici…

Quatro Pilares da Educação

Os Quatro Pilares da Educação

Jaques Delors et al

Para poder dar resposta ao conjunto das suas missões, a educação deve organizar-se em torno de quatro aprendizagens fundamentais que, ao longo de toda a vida, serão de algum modo, para cada indivíduo, os pilares do conhecimento: aprender a conhecer, isto é, adquirir os instrumentos da compreensão;; aprender a fazer, para poder agir sobre o meio envolvente;; aprender a viver juntos, a fim de participar e cooperar com os outros em todas as atividades humanas;; finalmente, aprender a ser, via essencial que integra as três precedentes. É claro que essas quatro vias do saber constituem apenas uma, dado que existem entre elas múltiplos pontos de contato, de relacionamento e de permuta. Mas, em regra geral ensino formal orienta-se, essencialmente, se não exclusivamente, para o aprender a conhecer, e, em menor escala, para o aprender fazer. As outras duas aprendizagens dependem, a maior parte das vezes, de circunstâncias aleatórias quando não s…

A importância da auto-estima

IMPORTÂNCIA DA AUTO-ESTIMA - FATOR INDISPENSÁVEL NO DESENVOLVIMENTO DA LEITURA E DA ESCRITA

Pr. Suedem Alceno Medeiros

Resumo:
O objetivo primordial deste artigo é refletir a cerca da importância do aluno ser incentivado a descobrir seus potenciais em relação ao acesso à aprendizagem de leitura e escrita no âmbito da sala de aula. Nesse sentido, o professor precisa recorrer aos conhecimentos didáticos e pedagógicos de forma reflexiva para descobrir como elevar a auto-estima do educando como objetivo de fazê-lo compreender que a capacidade de aprender é algo que todos têm, e que ela se desenvolve a partir da busca da aprendizagem. A prática pedagógica para desenvolver a auto-estima da criança precisa apresentar ações que sejam relacionadas coma vivência cotidiana do aluno, considerando seus conhecimentos assimilados fora do espaço escolar como aprendizagem importante para a construção do conhecimento escolar. É na sala de aula que o professor tem a oportunidade de mostrar ao aluno que a …

Motivação na Aprendizagem

Motivação na aprendizagem
MOTIVAÇÃO NA APRENDIZAGEM

Cássia R. M. de Assis Medel


O professor deve lançar mão de recursos que levem o aluno à motivação para que a aprendizagem ocorra, realmente, de maneira eficaz. Será possível ainda formar cidadãos éticos e interessados no saber?


Os professores estão sempre se perguntando sobre o que devem fazer para que os alunos realmente aprendam.
Segundo o dicionário Silveira Bueno, motivação quer dizer exposição de motivos ou causas; animação; entusiasmo. Através dessas definições, pode-se constatar que estar motivado é estar animado, entusiasmado. Para isso, é necessário ter motivos para se chegar a esse estado.

Qualquer coisa que se faça na vida, é necessário primeiro a vontade de realizá-la, senão nada acontece. Isso também ocorre na educação. Educação requer Ação e como resultado dessa ação, há o APRENDIZADO. Mas para que se realize a ação e esta resulte no aprendizado é necessário, inicialmente, que haja a VONTADE, nesse caso, a vontade de apr…

Motivação

Motivação

Talvez o primeiro ponto que há de se entender, em relação ao consumidor, seja a motivação. Com raras exceções, um ser humano não consumirá nada se não estiver motivado a comprar.

A motivação envolve atividades as quais nos levam a um determinado objetivo. Podemos nos tornar motivados ou estimulados por meio de necessidades internas ou externas que podem ser de caráter fisiológico ou psicológico.

Se por algum motivo, ficarmos sem tomar água por algum tempo, o nosso organismo reagirá de uma forma tal que, constantemente, nos sentiremos compelidos a buscar nosso objetivo, ou seja, saciar a sede. O comportamento motivado tenderá a prosseguir até que nosso objetivo seja alcançado, de forma a reduzir a tensão que estamos sentindo.

Muitas vezes conseguimos driblar a necessidade com outro aspecto. Se estamos com sono, por exemplo, todo nosso comportamento se voltará a perseguir o objetivo de acabar com o sono, ou seja dormir. Se, no entanto, alguma outra coisa nos motivar – um filme na…

Antes de querer mudar o mundo, mude-se !

Antes de querer mudar o mundo, mude-se

Com o mercado altamente competitivo, o qual pode-se notar pelo grande número de concorrentes, pelas promoções de venda cada vez mais agressivas, pelos clientes cada vez mais exigentes, pelas menores possibilidades de errar e ainda manter-se no mercado, surge a necessidade de aprimoramento contínuo. Em função destes fatos, cada vez mais se fala em fidelização de clientes, as empresas e, principalmente, os profissionais precisam rever seus conceitos relativos ao modo de como lidar com os eventos do dia-a-dia.

É necessário romper barreiras, abandonar as concepções de como a realidade é ou como acreditamos que ela seja, enxergar onde outros não enxergam e admitir que temos que nos adaptar sempre aos novos acontecimentos e que isso implica em rever constantemente nosso modo de agir e pensar. Aprender hoje não se dá pelo acúmulo de conhecimento, e sim pela capacidade de refinar aquilo que estamos vendo, ouvindo, sentindo na pele, para daí formarmos um m…